quarta-feira, 6 de julho de 2011

Telebrás deve ser parceira de Eletrobras para banda larga

A Telebrás deverá ser parceira do sistema Eletrobras e da Petrobras na exploração das fibras óticas dessas empresas para oferta de banda larga, disse nessa sexta-feira o secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Cezar Alvarez. 

Apesar de afirmar que a capitalização da Telebrás por meio de uma outra estatal não estar em discussão, Alvarez disse que nenhuma hipótese está descartada. "Não chegamos a discutir nesse patamar. Eu diria que em princípio nada está descartado se trouxer economicidade e atender ao interesse público", disse. 

A Telebrás foi recriada pelo governo para oferecer internet no atacado no âmbito do PNBL (Plano Nacional de Banda Larga). Para isso, vai utilizar redes de cabos pertencentes à Eletrobras e, em menor escala, à Petrobras. 

"É em cima da estrutura dessas empresas públicas que a Telebrás existe. Ele aluga. Então, naturalmente, ser parceiro dessas empresas é o óbvio", disse Alvarez. Segundo ele, a orientação da presidente Dilma Rousseff é levar a sinergia entre as estatais ao máximo. 

Uma hipótese mencionada por ele é a de a Telebrás formar Sociedade de Propósito Específico com as outras estatais para cuidar do serviço de banda larga regionalmente. 

Na quinta-feira, as operadoras Oi, Telefônica, CTBC e Sercomtel anunciaram que participarão do PNBL, oferecendo banda larga de velocidade de 1 megabit por segundo por R$ 35 mensais. 

A intenção do governo é ter o serviço oferecido nacionalmente, nessas condições, até 2014. 

NOVAS FAIXAS
O governo aprovou o Plano Geral de Metas para a universalização do Serviço Telefônico Fixo Comutado, segundo consta de decreto publicado na edição desta sexta-feira do "Diário Oficial da União". 

No decreto, o governo determina que a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) deverá licitar, até 30 de abril de 2012, novas subfaixas para telecomunicações e também para banda larga com tecnologia de quarta geração (4G). 

No caso do 4G, as subfaixas vão de 2.500 MHz a 2.690 MHz, enquanto as de serviços de telecomunicações, voltadas para a área rural, vão de 451 MHz a 458 MHz e de 461 MHz a 468 MHz. 

Fonte: DA REUTERS, EM BRASÍLIA , Folha.com

Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Recentes: